#Cortar despesas de maneira desordenada e sem critério pode trazer problemas futuros

Enxugar despesas desnecessárias é fundamental para qualquer empresa, independentemente do cenário econômico. Mas, para cortar gastos de forma adequada, é preciso realizar análises mais racionais. “Um erro comum é cortar colaboradores ou gastos de maneira desordenada.

Antes de fazer qualquer demissão ou corte drástico, é fundamental analisar o impacto nos processos”, afirma Reinaldo Domingos, coautor do livro Papo Empreendedor e da apostila Educação Financeira para empreendedores (Editora DSOP).

Segundo o especialista, as reduções no quadro de funcionários costumam provocar queda na moral da equipe. “Isso reduz, de certa forma, o grau de comprometimento com as metas empresariais”, completa. Veja a seguir as suas recomendações:

1.    Identificar todos os itens de custos e despesas. Levantar o valor médio e total, durante, pelo menos, os últimos seis meses, colocando essas informações em uma tabela ou planilha eletrônica;
2.    Separar os custos por tipo, ou seja, custos variáveis e custos fixos;
3.    Fixar meta de redução de cada item da despesa para os próximos meses, após avaliação dos riscos e consequências que esse corte trará à empresa. Essa previsão de custos deve ser feita mensalmente;
4.    No acompanhamento dos custos, é necessário comparar essa previsão com quanto foi efetivamente gasto no mês e verificar se a meta foi alcançada. Caso não tenha sido atingida, é preciso identificar as razões;
5.    Todos os passos até aqui apresentados devem ser repetidos continuamente, para obter os resultados planejados. Estabeleça novas metas e novos resultados, criando, dessa forma, o hábito de diagnosticar, planejar e controlar os custos da sua empresa;
6.    Na elaboração do plano de redução de custo (previsão de custo), escolha, em primeiro lugar, os itens de despesas em que deve concentrar esforços e que ofereçam a possibilidade de economia sem muita dificuldade ;
7.    Para tanto, concentre-se, primeiramente, nos custos associados a desperdício de dinheiro. questione cada item: se ele é necessário e se agrega valor à empresa e/ou aos clientes. Em caso negativo, ele deve ser eliminado ou ter uma redução gradativa até ser extinto por completo;
8.    A atenção deve ser redobrada para os gastos com maior valor, pois eles oferecem uma ótima oportunidade de economia;
9.    É bom lembrar que a redução de custos pode ser danosa para o desenvolvimento das atividades da empresa no futuro. Ao fazer o plano de economia, certifique-se de que seus níveis atuais de qualidade não serão afetados e que competências da empresa – necessárias para atender os seus objetivos – não serão suprimidas;
10.    Caso você tenha dificuldade em trilhar os passos anteriormente sugeridos, é recomendado procurar a ajuda de um profissional especializado em custos ou cursos para capacitação nessa área.

Fonte: SM


Olá deixe seu comentário aqui