#Mercado de alimentação saudável segue imune à crise

Assista o Vídeo Personal Consulting

Foi-se o tempo em que as pessoas se alimentavam mal e tinham pouca preocupação com a saúde e o bem-estar. Hoje, o brasileiro está cada dia mais ligado em questões de saudabilidade, sustentabilidade e simplicidade. De acordo com a consultoria Euromonitor, o mercado de alimentação saudável movimentou R$ 80 bilhões em 2015 e deve movimentar R$ 108,5 bilhões até 2019. Nos últimos cinco anos, as vendas nesse setor dobraram. Um ótimo nicho para quem deseja investir, ainda mais no setor de franquias.

Segundo a ABF – Associação Brasileira de Franchising, só o segmento de saladas, tapiocas e apelo saudável faturou quase R$ 235 milhões em 2015. Um bom exemplo são os restaurantes da Let´s Wok, que unem um conceito de fast food saudável. A rede oferece um cardápio flexível, que permite milhares de combinações entre massas, arrozes, vegetais e outros ingredientes preparados em panela Wok, sua marca registrada. Como possuem pouca gordura e produtos naturais, seus pratos tem ganhado cada vez mais adeptos.

Uma das unidades mais bem sucedidas da empresa é a loja do Shopping Patio Iporanga, em Santos. A cidade, por ser litorânea, tem uma grande aceitação do conceito – tanto que duas das quatro unidades da rede estão lá. “Nossos pratos caem muito bem tanto em dias quentes quanto frios. Por serem preparados em menos de 10 minutos e na frente do cliente, a aceitação é muito boa”, afirma Daniel Mendonça da Silva, gerente da unidade.

De acordo com os demonstrativos contábeis da unidade, mesmo em meio à crise, o faturamento vem aumentando. “Só no mês de julho, tivemos um crescimento de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior. É uma prova de que o segmento de alimentação saudável tem seguindo praticamente imune à crise”, afirma. “Percebemos, muitas vezes, redes tradicionais de sanduíches e outras comidas mais calóricas, que ficam ao lado da nossa, no shopping, terem um movimento muito menor”, atesta.

João Luis Gomes, o franqueado da unidade, não tem do que reclamar. Mesmo atualmente morando fora do país, ele consegue acompanhar a evolução do seu investimento. “A loja se valorizou muito. Na época em que abri, em 2011, investi cerca de R$ 250 mil reais. Hoje, de acordo com as avaliações da franqueadora, minha unidade vale em torno de R$ 700 mil. Em nenhum tipo de aplicação eu conseguiria quase triplicar o meu capital em menos de cinco anos”, alegra-se.

Obviamente, não se trata de milagre. Há muito esforço e dedicação envolvidos. “No início, precisamos investir bastante na formação da clientela. Foi um tempo até as pessoas experimentarem e passarem a incluir nossos pratos no seu dia a dia. Hoje, felizmente, a grande maioria dos clientes é recorrente. Uma prova de que mais do uma refeição esporádica, eles realmente aderiram o conceito de alimentação saudável em seu cotidiano. Bom para o cliente e melhor ainda para o investidor desse segmento”, finaliza.

Fonte: Agência Estado

#Redes de supermercados reduzem custos com eletricidade de forma simples e rápida
#Planejamento na crise ditará o cenário do varejo na retomada

Olá deixe seu comentário aqui