#Nova bebida não alcoólica vira moda entre artistas e adeptos de alimentos saudáveis

Diz-se ‘kombutcha’, mas escreve-se kombucha e é a nova bebida da moda. Enquanto em países da europa como Portugal e França ainda poucos a conhecem, na Espanha, no BrasilEUA e Austrália já são milhões os que não a dispensam. Trata-se de chá verde ou preto fermentado e tornou-se popular por ser muito nutritivo e saudável. Tem propriedades antioxidantes, ajuda a desintoxicar o fígado, a perder peso e contribui para o bom funcionamento do sistema digestivo.

O sucesso desta bebida tem sido tanto que só em 2016, segundo o jornal espanhol El Mundo, o volume de negócio subiu 30% e alcançou os 600 milhões de dólares (519 milhões de euros). No entanto, a kombucha não é nenhuma invenção inovadora. Já existe pelo menos desde o ano 200 a.C., altura em que os imperadores chineses começaram a tomá-la por considerarem que se tratava de um elixir da vida e que permitia a imortalidade.

Qual o sabor da kombucha?

Nuria Morales e Beatriz Magro fundaram, há dois meses, a Komvida Organic Kombucha, uma marca espanhola da bebida que, na opinião das duas mulheres, “tem um sabor muito peculiar“.

“É rica em ácidos orgânicos, melhora o sistema imunológico, ajuda a eliminar toxinas do fígado e é fonte de antioxidantes. No nosso caso respeitamos todos os tempos de fermentação e ao fazê-lo, a nossa kombucha adquire umas borbulhas muito agradáveis ao paladar e muito benéficas para o sistema digestivo”, explicou Beatriz Magro ao El Mundo (veja o vídeo abaixo para aprender a fazer kombucha).

Apesar de ser recente, a marca espanhola já faz parte da Kombucha Brewers International, a associação mais importante do setor, e têm 70 pontos de venda só em Espanha. O objetivo é continuar a crescer até conseguirem “posicionar esta bebida como uma alternativa à Coca-Cola e a outros sumos açucarados”.

Esta bebida mudou-lhe a vida

Aos 14 anos, Jordi Dalmau descobriu que tinha Síndrome de Gilbert, uma deficiência genética que faz com que o processo de desintoxicação do fígado falhe. À medida que foi crescendo começou a sentir-se “sempre cansado” e intolerante ao álcool.

Podia beber só dois golos de cerveja e ficar com uma horrível dor de cabeça e sintomas de ressaca“, recordou ao mesmo jornal espanhol.

Com o passar dos anos foi seguindo muitos conselhos e fazendo várias experiências alimentares, mas nada resultou tão bem como a kombucha. “Desde que comecei a beber notei melhorias”, garantiu. Até deixou de tomar medicação. A última vez foi há praticamente três anos.


É recomendável que se consuma uma garrafa de 100ml por dia


“Comecei a dá-la aos meus amigos. O sabor surpreendia-os ao início, mas gostaram”, contou. Acabou por criar a sua própria marca da bebida, a Kombutxa Mun Ferments, que já existe há um ano. Fazem-na com “água pura proveniente dos Pirenéuschá verde Lung Ching – o mais orgânico que se cultiva no mundo –, açúcar ecológico, fruta, ervas aromáticas e plantas 100% orgânicas.”

Atualmente têm 100 pontos de venda em Espanha, sem contar com as plataformas digitais, e recomendam que se consuma uma garrafa de 100ml por dia. “Levamos muito a sério a relação com os nossos clientes e a maior alegria é que nos digam como a sua saúde melhorou com o nosso produto“, acrescentou Jordi Dalmau.

Quanto a preços, estes podem ser variáveis consoante a marca e oscilam entre 2,90€ e os 8€, de acordo com o jornal espanhol. Em Portugal há kombucha à venda nas lojas Celeiro, por 1,49 euros.

Fonte: http://www.delas.pt


Olá deixe seu comentário aqui