#O poder do fracasso – Parte 3

Assista o vídeo Personal Consulting Online

A Causa do Fracasso

O medo é a causa de todo fracasso humano. A indecisão leva a dúvida e as duas se combinam e formam o medo. Os seis medos básicos da humanidade são: medo da pobreza, medo da crítica, medo de doenças, medo da perda do amor de alguém, medo da velhice e medo da morte. Superar cada um ou todos eles é o primeiro passo na busca da auto realização.

É importante salientar que os medos são estados mentais e como tais podem ser controlados. Entretanto, se não for controlado o medo paralisa a razão, destrói a imaginação, mata a autoconfiança, diminui o entusiasmo, desencoraja a iniciativa, leva à incerteza de objetivo, estimula a procrastinação e torna impossível o autocontrole. Somente os que controlam os medos tem a verdadeira posse da vida.

 O Medo da Pobreza

É, sem dúvida o mais destrutivo de todos os medos, e o mais difícil de ser vencido. Sua origem remota desde dos tempos das cavernas, quando o homem tinha como objetivo principal à busca de alimentos para sobreviver. Passados milhares de anos o homem contínua como nos tempos das cavernas, tendo como a principal preocupação a manutenção da vida, todavia hoje precisa de dinheiro para garantir isso.

Os principais sintomas do medo são: indiferença, indecisão, dúvida, preocupações, excesso de cautela, procrastinação. Superar o medo da pobreza significa estar apto a receber todas as riquezas possíveis e imagináveis.

O Medo da Crítica

É tão perverso quanto os demais. Ele entra na mente das pessoas de forma tão sutil e sorrateira que muitas vezes os estragos são pouco percebidos. O medo da crítica é tão importante na vida moderna, que setores industriais inteiros sobrevivem às suas custas, como aqueles relacionados a produtos de beleza, calçados, vestuário, automóveis, cuidados pessoais, entre outros.

Os principais sintomas do medo da crítica são: constrangimento, falta de autodomínio, falta de personalidade, complexo de inferioridade, exibicionismo, falta de iniciativa e ausência de ambição. Supere o medo das críticas e será um homem livre para conquistar tudo que sua mente possa conceber.

O Medo Das Doenças

Pode ser atribuído à hereditariedade social e está muitas vezes ligado ao medo da velhice e da morte. O medo das doenças está intimamente relacionado às imagens de sofrimento e penúria que o homem tem, de pessoas doentes de seu convívio, bem como das questões econômicas relacionadas ao fato de estar doente. A semente do medo da má saúde está inserida na mente de todas as pessoas. Preocupações, desânimo, decepções amorosas e nos negócios fazem com que a semente germine e cresça. Os principais sintomas do medo das doenças são: autossugestão, hipocondria, falta de exercício, suscetibilidade, auto piedade e intemperança. Superar o medo das doenças fará de você um homem capaz de usufruir todas as coisas boas que a vida pode proporcionar.

O Medo da Perda de Amor

É derivado do ciúme e outras formas de neurose comuns ao homem. A poligamia, principalmente relacionada ao homem, fortalece a ideia de perda de posse, que leva o medo da perda do amor. Os principais sintomas desse medo são: ciúmes, críticas e jogos. Superar o medo da perda do amor de alguém fará com que esteja totalmente aberto a aproveitar as emoções e os prazeres de uma relação saudável com as pessoas.

 O Medo da Velhice

Está de certa forma associado com o medo da pobreza. O fato de o indivíduo associar a velhice com a impossibilidade de trabalhar e auferir rendimentos dá origem ao medo da velhice. Duas razões muito boas fortalecem o medo da velhice: desconfiança em relação aos seus semelhantes de apossar-se de seus bens materiais e este não poder fazer nada. E o medo da morte, já que a cada ano vivido pressupõe um ano a menos na vida. Os principais sintomas desse medo são: tendência de moderar o ritmo de vida e desenvolver complexo de inferioridade, o hábito de se referir a si mesmo com sentimento de culpa, de matar a iniciativa, a criatividade e autoconfiança. Deixar de temer a velhice lhe proporcionará uma motivação e um desejo de crescer que o levará ao mais alto degrau da auto realização pessoal.

 O Medo da Morte

Para alguns é o medo mais cruel. O fato de desconhecer o que vem depois da morte, transforma-a na maior das angústias humanas. Pensar no castigo após a morte destrói o interesse pela vida e torna impossível o estado mental de felicidade. Os sintomas comuns do medo da morte são: o hábito de pensar em morrer, relacionar a morte com a pobreza de entes queridos, doenças e colapsos físicos. O maior de todos os remédios para o medo da morte é um desejo ardente de realização pessoal.

Livre-se do medo da morte tomando a firme decisão de aceitá-la como algo que não poderá escapar; deixe o medo da pobreza para trás tomando a firme decisão de viver com a riqueza que puder construir sem nenhuma preocupação; deixe o medo das críticas para trás com o firme propósito de não se preocupar com que os outros irão pensar de você; elimine o medo da velhice, aceitando-a como uma vantagem sobre os mais jovens em termos de sabedoria, autocontrole e compreensão; deixe o medo das doenças de lado, não lembrando de sintomas que possam ser relacionados com ela; domine o medo da perda do amor dispondo a viver sem ele, se preciso. Livre-se de todos os medos e viverá uma vida de abundância e auto realização eterna. Para saber mais: http://potencialmaster.com.br/

Por: Sebastião Barroso Felix

#O poder do fracasso – Parte 2
#O poder do fracasso – Parte 4

Olá deixe seu comentário aqui