#Smiles investe em e-marketplace de varejo

O programa de fidelidade Smiles vai criar um e-marketplace de varejo que dará milhas para os consumidores que comprarem por meio do portal. A informação foi revelada com exclusividade ao blog BASTIDORES DAS EMPRESAS por Leonel Andrade, presidente do Smiles.

De acordo com ele, a companhia está ajustando os detalhes finais para lançar seu e-marketplace, o que deve acontecer nas próximas semanas. Ele funcionará de forma semelhante à parceria anunciada, no ano passado, com a RocketMiles, que faz reservas de hotéis.

Os e-marketplaces, como o Mercado Livre, são uma vitrine virtual para os varejistas. Toda vez que uma compra é feita, ela gera uma comissão para remunerar o dono do portal.

A Smiles vai pegar parte dessa comissão e transformar em milhas ao consumidor. “Quero cada vez mais fidelizar meu cliente”, afirma Andrade.

Os parceiros do e-marketplace ainda estão sendo definidos, mas Andrade acredita que devem ser os mesmos varejistas do Shopping Smiles, no qual os clientes do programa de fidelidade usam suas milhas para fazer resgates. Entre eles estão Fast Shop, Polishop, Magazine Luiza, Extra e Casas Bahia.

A nova estratégia é surpreendente, pois Andrade diz a dez entre dez interlocutores que seu foco é o turismo e que não quer perder tempo com distrações, como o varejo.

O executivo, no entanto, alega que o site da Smiles tem uma audiência de quatro milhões de usuários e quer aproveitar esse tráfego.

Ao mesmo tempo, a Smiles mantém sua estratégia de ser um portal de turismo. “Quero ser um e-marketplace completo para o turismo”, afirma ele.

A Smiles, por exemplo, já é a empresa que mais emite bilhetes no Brasil. Neste ano, a projeção é de cinco milhões de passagens, quase o dobro da CVC, a maior agência de turismo do Brasil.

Além disso, ele conta com a RocketMiles, uma empresa da Priceline, a dona do site Booking, que permite fazer reservas de hotéis e ganhar milhas. Outro parceiro é a locadora de carros Localiza.

A ideia de Andrade é expandir essa estratégia com outras parcerias, mas de forma lenta. “Não adianta ter vários parceiros, o cliente não absorve todas as novidades”, afirma o executivo.

Neste ano, dois novos parceiros devem ser anunciados. Andrade ainda não revela os nomes, mas diz que faz sentido a Smiles “vender” ingressos, passagens de trens e até mesmo bilhetes para quem for à Disney.

Fonte: ISTOEDINHEIRO


Olá deixe seu comentário aqui